Você já conversou com seus filhos sobre os perigos da internet? Não? Bom, você não é o único. O nosso recente estudo sobre o tema mostra que menos da metade de pais e responsáveis conversa regularmente com suas crianças sobre a segurança online.

Mas também é preciso lembrar… Não falar sobre os riscos online não vai fazer com que os perigos sumam. Então, por favor, converse com seu filho. Por favor. Porque, acredite em mim, há muitas coisas ruins por ali e seus filhos vão encontrá-las, seja por acaso ou propositalmente.

Lembre-se também desse conselho arrepiante: Se você não conversar com seus filhos, outra pessoa vai. (Entra a musiquinha da Kombi do sorvete.)

Aqui está o que seus filhos fazem online

O Center for Cyber Safety and Education lançou em 2016 o “Estudo de uso de internet pelas crianças” que relatou o comportamento na internet de crianças de 4 a 8 anos nos Estados Unidos. Os resultados foram chocantes. (Ou não, a menos que você estava em coma nessas últimas décadas).

Acontece que as crianças não estão ouvindo nossos avisos para não falar com estranhos, ou nós, pais, não estamos enfatizando esse risco para nossos filhos, adivinhe por quê? Nossos filhos estão falando com estranhos. Não existe uma diferença estatisticamente significativa entre meninos e meninas. Ambos fazem isso. E, em alguns casos, estão até mesmo planejando se encontrar com esses estranhos no mundo real.

Dê uma olhada nestes números...

Fonte: https://iamcybersafe.org/parent-research/

Assustador, não é? Então, por favor, sente-se com seus filhos e explique a eles que os estranhos podem machucá-los, ou até roubar seu Xbox. (Qualquer coisa que chame sua atenção). Lembre seus filhos que se eles não confiariam em um estranho na rua, também não deveriam confiar nele online. Essa conversa seria assim em minha casa:

Eu: Oi, filha. Não converse com estranhos.

Filha: Por quê?

Eu: Porque eles poderiam te machucar.

Filha: E?

Eu: E roubar seu Xbox.

Filha: Não!

Eu: Sim e não passe a eles nenhuma informação pessoal.

Filha: Meu nome?

Eu: Seu nome, endereço, número de telefone: nada. Passar suas informações pessoais é problema na certa.

Filha: Isso é bem uma coisa que um pai falaria.

Eu: Caramba, filha. Não quero uma kombi de sorvete estacionada na frente de casa!

Aqui está o que mais nossos filhos fazem online

Vocês lembram dos velhos tempos quando a criançada jogava ovos nas casas dos vizinhos, ou queimava formigas com uma lupa? Então, de acordo com “Estudo de uso de internet pelas crianças”, as crianças entre 4ª e 8ª série são especialistas em fazer tudo que os pais nunca aprovariam:

  • 29% usam a internet de um jeito que os pais não gostariam

  • 21% acessam sites onde podem bater papo com estranhos

  • 17% acessam sites com fotos sexuais ou vídeos para adultos

  • 11% acessam sites com instruções sobre como fazer cola para as tarefas de escola

  • 4% acessam sites de jogos de azar (o pequeno Timmy sabe contar cartas??)

Fonte: https://iamcybersafe.org/parent-research/

Como as crianças acessam a internet? É fácil.

De acordo com o “Estudo de uso da internet pelas crianças”, 70% das crianças entre a 4ª e 8ª série têm celular, 64% têm tablet e 48% têm computador no quarto. Então nossos pequenos têm muitas oportunidades para acessar a internet sem supervisão adulta.

Nosso estudo revela que não estamos conversando com nossos filhos

Na pesquisa global recente da AVG com 9.485 pais e responsáveis, descobrimos que apenas 43% deles conversam regularmente com os filhos sobre seu comportamento online. Assim, apesar de termos cada vez mais um estilo de vida digital, parece que a segurança na internet ainda não é um tema comum de conversa nas famílias. Que vergonha!

Sobre nosso estudo: Realizamos nossa pesquisa online no segundo semestre de 2018. Os participantes tinham pelo menos um filho com menos de 18 anos que morava com eles. Eu arredondei os números abaixo para a porcentagem mais próxima para facilitar a vida dos leitores (e de nosso designer gráfico), portanto, alguns dos resultados não serão exatamente 100%.

Eis o que perguntamos e o que os pais responderam:

“Você conversa com seus filhos sobre o que eles compartilham ou fazem online?”

Veja o que Jas Dhaliwal, Especialista em Segurança do Consumidor da AVG, tem a dizer sobre isso:

“Para que a internet seja um lugar mais seguro, é preciso que adultos e crianças possam discutir o que é um comportamento online adequado e o que fazer se uma criança vir ou se envolver em uma atividade que causa desconforto. Conversar aberta e honestamente é uma das melhores defesas contra predadores online, conteúdo inadequado e cyberbullying. Até que a criança atinja uma idade em que ela se sinta suficientemente madura para tomar decisões relativas às atividades online de maneira independente, e os pais também concordem, essas conversas são vitais”.

Em outras palavras, pule o papo sobre abelhas e flores e converse com seus filhos sobre como se manter seguro online.

“Qual das frases a seguir você acha que MELHOR se encaixa na frase: 'eu consideraria meu filho digitalmente independente…'”

“Quando você acha que seu filho se tornará digitalmente independente? (Se você tiver mais de um filho, responda em relação ao filho mais novo)”

(Obs.: a idade média do filho mais novo dos participantes era 10 anos).

Dhaliwal continua: “a independência digital cria um enorme desafio para os pais de hoje porque, como nossa pesquisa claramente demonstra, simplesmente não há consenso sobre quando uma criança é considerada digitalmente independente. Embora seja muito importante conversar regularmente sobre navegação segura online, os pais também devem levar em conta as atividades do seu filho, se elas são supervisionadas ou não e o nível emocional geral de desenvolvimento do filho, pois todos esses fatores afetam o grau de vulnerabilidade online da criança”.

Então o que você faz exatamente para manter seu filho seguro online? Que bom que você perguntou. Acontece que eu tenho algumas dicas para proteger seus filhos na internet...

10 dicas para manter seus filhos seguros online

Além de instalar um antivírus confiável no computador do seu filho, siga essas dicas básicas para manter seu filho seguro online. Elas ajudarão muito seu filho a evitar os perigos da internet.

  1. Converse com seus filhos

    As crianças ganham seus primeiros dispositivos conectados à internet quando são muito jovens. Então comece a conversar cedo. Avise sobre malware, sites perigosos e criminosos sexuais. Informe a seus filhos que você está cuidando deles, converse honestamente com eles e ouça. Afinal, se só você estiver falando, isso não será uma conversa. Será um sermão. E ninguém gosta disso.

  2. Mantenha seu computador em uma área comum

    É mais difícil para criminosos sexuais e agressores online assediarem seu filho quando você pode ver o que ele está fazendo. Então, não deixe seus filhos irem para a cama com laptops e celulares. Só deixe que eles acessem a internet em áreas comuns. (Está preocupado que alguém poderia usar sua webcam para espiar seu filho? Ganhe o teste grátis de 30 dias de AVG Internet Security para se proteger de espiões pela webcam).

  3. Saiba quais outros computadores seus filhos usam

    Seus filhos provavelmente têm acesso a computadores na escola ou na casa de amigos. Pergunte o que eles acessam online e converse com os pais dos amigos sobre como eles supervisionam o uso da internet de seus próprios filhos.

  4. Lembre seus filhos: “não converse com estranhos. Nem encontre com eles” 

    Deixe claro que os estranhos não são amigos. Lembre seus filhos que as pessoas mentem com frequência sobre a idade e os predadores online muitas vezes se apresentam como crianças. Reforce que seus filhos nunca devem divulgar informações pessoais como nome, endereço, número de telefone, nome da escola, nem nome dos amigos. Todas essas informações podem ajudar o predador online a encontrar seu filho na vida real. Seu filho nunca deve se encontrar com alguém que conheceu online sem sua permissão. Se você concordar com o encontro, acompanhe seus filhos e faça o encontro em um local público.

  5. Transforme o tempo na internet em tempo em família.

    Vocês assistem filmes juntos. Por que não navegar na internet juntos? Transformar isso em um evento familiar pode ser divertido. Você vai conhecer melhor os interesses de seus filhos e poderá mostrar a eles os sites mais adequados à idade.

  6. Saiba as senhas de seus filhos. 

    Se você tem um filho mais novo, crie uma conta para ele em seu nome para evitar expor o nome de seu filho. Assim você também terá a senha. Mas, por favor, respeite as limitações etárias nas contas. Se um site é para os maiores de 18 anos, talvez seu filho deva esperar. Seja qual for a sua escolha, tenha as senhas e avise seus filhos que você verificará as contas deles de tempos em tempos para garantir que tudo esteja em ordem. (Espiar as contas de seus filhos sem o conhecimento deles pode prejudicar a confiança deles em você).

  7. Observe as alterações de comportamento de seus filhos 

    Se perceber que estão escondendo o que fazem online, retirando-se da família e outras mudanças de personalidade, pode ser sinal de que um agressor sexual online está abusando de seu filho. Por isso, fique de olho em alterações de comportamento.

  8. Preste atenção nos presentes que seus filhos recebem

    Predadores sexuais podem enviar cartas, fotos ou presentes para crianças e seduzi-las. Fique atento e pergunte a seus filhos sobre todos novos brinquedos que trouxerem para casa.

  9. Verifique o histórico de navegação de seus filhos 

    Abra o navegador web de seu filho e procure por “Histórico” para ver uma lista de sites que visitaram. Também verifique a lixeira para ver se apagaram alguns arquivos. Você pode se surpreender.

  10. Define as regras e respeite-as

    Como pai/mãe, seu trabalho é limitar o tempo que seus filhos passam na frente da tela, definir limites para conteúdo inadequado e garantir que seus filhos respeitem as regras. Então, faça isso. Converse com o seu provedor de serviços de internet sobre filtros para bloquear sites pornográficos ou violentos, ou invista em um roteador Wi-Fi com controle parental.

Você acha que algum predador está atrás do seu filho? Avise as autoridades

Se você acha que seu filho é vítima de um predador, chame a policia imediatamente. E não mexa em seu computador: ele pode conter provas importantes que podem ajudar a prender o criminoso. Acima de tudo, não faça nada sozinho. Alguns predadores são mestres de kung fu.

E como sempre... Use um antivírus!

Faça um teste grátis de 30 dias do AVG Internet Security para proteger seu filho contra os mais novos vírus, spywares e sites mal-intencionados. Se seu filho acidentalmente começar a fazer o download de algum malware, vamos bloquear automaticamente a infecção antes que ela chegue a seu computador.

O melhor de tudo, o AVG Internet Security mantém os voyeurs longe da sua casa e impede que cibercriminosos acessem a webcam de seu computador. Assim, você pode ficar tranquilo sabendo que ninguém está espiando seus filhos.

Teste o AVG Internet Security Gratuitamente

 

AVG Internet Security Experimente GRÁTIS